Partilhar a nossa dor pode fazer a diferença!


“A arte é uma ferida feita Luz” dizia Georges Braque (famoso pintor e escultor francês) e não é que queiramos todos produzi-la , mas todos precisamos de encontrar beleza para que a Vida nos seja suportável.

A falta de beleza no dia a dia foi o que empurrou os nossos entes queridos para a escuridão.

A vida por si só não basta é preciso aprender a encontrar o belo, nas mais pequenas coisas do dia a dia, para que não nos desviemos por caminhos sombrios.

A dor pode tornar-nos surdos e mudos, ficar para além de qualquer descrição ou consolo, mas é nosso dever dar-lhe um sentido que reverta a nosso favor e que ajude a tornar inesquecível a memória dos que escolheram partir, por sua própria vontade.

A vida abre caminho, apesar da dor e tal qual planta daninha, consegue nascer em chão de cimento, também nós conseguiremos reinventarmo-nos rompendo a mágoa e transformando-a em Amor.

Partilhar a nossa dor, pode fazer a diferença na vida de alguém que está percorrendo o mesmo caminho e que se irá sentir compreendido e apoiado, pela brisa que transporta essa empatia e que nos ajuda a sentir um pouco mais leves.

Sem medo, sem pudor e com sinceridade venha juntar-se a um dos nossos grupos, não terá nada a perder e muito provavelmente, terá algo a ganhar…

Somos todos diferentes, mas todos iguais nesta imensa dor que é muitas vezes a da incompreensão dos acontecimentos, da culpa e muito provavelmente da impotência que sentimos em voltar à vida.

Mas acredite, há Esperança, podemos sempre fazer algo por nós e pelo outro! Comecemos então por nos unir, para que mais tarde possamos também ajudar quem precisa!

Eu preciso de si, por favor não me negue a sua mão!

Obrigada!"

F. Abrantes, Mãe e Voluntária Inspiradora da Associação Sobre Viver Depois do Suicídio

73 visualizações0 comentário